ConcertsEcletismo MusicalReviews

[Review] David Fonseca @Coliseu de Lisboa (14/11/2018)

[Review] David Fonseca @Coliseu de Lisboa (14/11/2018)

Foi um Coliseu de Lisboa praticamente esgotado e com um público muito heterogéneo, desde a geração a chegar aos 40 e que acompanhou David desde os Silence 4, a muitos jovens que só terão vivido os últimos álbuns a solo, que assistiu ontem, ao primeiro de dois concertos (sexta-feira será a vez do Coliseu do Porto) de celebração dos 20 anos de carreira de David Fonseca.

E, com exceção de bolo, houve de tudo um pouco. Desde muitos confetis a bailarinas sexy, passando pela simplicidade do início de carreira enquanto Silence 4 e até uma versão de “Barco Negro”, assistiu-se a um desfiar da sua história, devidamente acompanhado por amigos próximos do seu percurso.

Depois de um arranque com “Superstars” e passagem por um dos seus temas com mais sucesso:“Someone That Cannot Love”, que David referiu ser, estranhamente, a música que mais lhe pediram para tocar em Casamentos, começou o desfilar de convidados.

A primeira a ter o privilegio de subir ao palco foi a jovem espanhola Alice Wonder, que David diz ter conhecido via Instagram, e que interpretou “Resist”, um dos temas do seu último álbum – Radio Gemini.

Depois de “Kiss Me, Oh Kiss Me”, chegou “U Know Who I Am” que serviu de antecâmara para um dos primeiros grandes momentos da noite. David Fonseca contou com a presença de Rita Redshoes na recordação de “Hold Still”. Seguiu-se Manuela Azevedo (Clã) em “Futuro Eu” e “Muda de Vida” de António Variações. Depois, foi a vez de Camané subir ao Palco e, depois de ter ajudado em “Hoje Eu Não Sou”, ofereceu a todos os presentes, a reedição do projeto Humanos por inteiro.

Todos os presentes cantaram a plenos pulmões o hit “Maria Albertina”. Esta sequência de colaborações fechou com Bruno Nogueira em “Ela Gosta de Mim Assim”.


Também houve tempo para, por exemplo, “Tell Me Something I Don’t Know”, “Stop 4 a Minute” (com excerto de “Riders on the Storm” dos Doors), tendo a primeira parte do concerto terminado com, provavelmente, um dos maiores hits da sua carreira, a explosiva “The 80’s” que colocou todo o Coliseu aos saltos.

No primeiro Encore, David Fonseca pegou em “Slow Karma”, tema que faz parte do último álbum e depois surpreendeu com uma versão de “Barco Negro” de Amália Rodrigues e continuou em português com uma sublime interpretação de “Adeus, Não Afastes Os Teus Olhos Dos Meus”.

Mas, ainda havia tempo para surpreender todos os presentes. David Fonseca, depois de já ter ido durante o concerto até ao meio da bancada, reapareceu no segundo Encore literalmente no meio do público. No centro do Coliseu, apenas com um microfone e uma lanterna, prestou redenção a um dos clássicos:“Song to the Siren” de Tim Buckley e que os This Mortal Coil (Elizabeth Fraser e Robin Guthrie dos Cocteau Twins) popularizaram.

Seguiu-se o momento Silence 4 desta celebração, como que num regresso às origens. Primeiro, ainda no meio do público, David interpretou uma das duas únicas músicas em português do histórico primeiro álbum da mítica banda de leiria:“Eu Não Sei Dizer”.

Em seguida, iniciou uma versão acústica do maior clássico dos Silence 4, a inevitável “Borrow” mas, rapidamente a interrompeu para voltar ao Palco e apresentar uma versão com banda e, para delírio de muitos dos presentes, com a participação de Sofia Lisboa.

Para fechar esta noite de emoções e, onde a própria voz de David Fonseca, parece ter, em alguns momentos, ameaçado render-se, o Coliseu celebrou os 20 anos em festa com o seu atual maior hit:“Oh My Heart”.

Next article [Festival] Super Bock Em Stock (Horários)
Previous article [Concerto e Entrevista] David Fonseca

Related posts

1 Comment

    Leave a Comment

    Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *