Ecletismo Musical

A Descobrir



En attendant la caravane – La Rue Kétanou

Projecto nascido em 1996 quando três jovens actores/saltimbancos decidiram criar um espectaculo musical pretendendo fazer reviver as tradições da canção de rua, música nómada por natureza e cigana por tradição, embora aqui com diversas influências. Assim, Mourad, Florent e Olivier Leite criaram um espectaculo de rua que devido ao enorme sucesso alcançado foi posteriormente transposto para a estrada num espectáculo cénico que percorreu inúmeros teatros, cafés-teatros, bares e ruas um pouco por toda a França, Irlanda, Nova Iorque e também por Portugal(uma vez que Olivier Leite é luso-descendente).

Um dos seus lemas de vida: “C’est pas nous qui sommes à la rue, c’est la rue Kétanou” sintetiza perfeitamente o espírito por detrás deste projecto.

Este álbum, o primeiro da sua carreira, é composto por 16 temas, onde pontificam o som do acordeão, com temas marcadamente de influência cigana, mas também com ligações aos blues, ao hip-hop, há tradicional canção francesa, bem como, reminiscências da velha música de cabaré, da antiga boémia parasiense e de feira medieval.

No entanto, o factor de maior realce prende-se com o teor das letras que compõem este álbum. Numa França cada vez mais marcada pela repressão e combate contra os direitos dos emigrantes e desfavorecidos em geral, as letras deste trabalho falam de integração, de respeito pelas diferenças, pelo direito de voto dos emigrantes, pelo tratamento igualitário do ser humano,etc. Procuram portanto através da música passar uma mensagem de esperança, mas igualmente de reivindicação dos direitos dos emigrantes e dos desfavorecidos.

Um excelente projecto musical que para além de apresentar boa música pretende ter um papel de intervenção, o que hoje em dia, por razões correntemente comerciais, vai infelizmente escasseando.

Das 16 músicas que integram este CD, destacam-se: «Les mots»; «Bonhomme de chien»; « Tu parles trop»; «La fiancée de l’eau»; «Mohammed»; «Le clandestin», para além da música que dá nome ao projecto e que abre este trabalho «La rue Kétanou», que tem a particularidade de ter alguns versos em Português:

“C’est pas nous qui sommes à la rue,

C’est la Rue Kétanou

Não sou eu que sou da rua,

E a rua que é nossa.

Deixa-se aqui um salteado de algumas das letras deste álbum:

“Aujourd’hui grande vente aux enchères,

On achète des mots d’occasion

Des mots à la page et pas chers

Et puis des mots de collection.

Un mot pour tous, tous pour un mot,

Un mot pour tous, tous pour un mot.”

“Tu parles trop, tu parles trop, tu parles trop

Tu n’écoutes plus personne et plus personne ne t’écoute”

“Clandestinement dans Paris

Il regonfle tout son courage

Il sait le secret écrit

Entre les lignes de son visage”

“Je m’appelle Mohammed

Tout le monde il me connaisse

J’aurais pu m’appeler Joseph

Mais je m’appelle Mohammed”

Next article « Só nos esquecemos do tempo quando o utilizamos»
Previous article The (R.I.P.) Peel Sessions

Related posts

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!

Leave a Comment

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *